Assinantes, fornecedores,
curriculos e anunciantes.
Página Principal
Artigos
Boletim
Doutor Celulose
Enquetes
Entrevista
Eventos
Galeria de fotos
Notícias
Patrocinadores
Parceiros
Sustentabilidade
Banco de currículos
Classificado de Ofertas
Clipping
Cotações
Fábricas de C&P
Glossários
Curiosidades
Guia de fornecedores
RSS
 
publicado em 07/07/2010

 

O papel tem uma das mais notáveis histórias. Foi descoberto há mais de 2000 anos atrás pelos chineses! Por muito tempo, o papel foi fabricado de linho, e fibra de algodão, mas o crescimento de seu uso conduziu a uma procura para matérias-primas novas. Em 1840, um alemão chamado Keller teve a idéia de moer a madeira em um moinho para extrair a fibra. Isto produziu a primeira polpa de madeira. A tecnologia de fabricação de papel fez grandes avanços desde então, especialmente nos últimos 20 anos. As cinco fases principais em fabricação de papel, porém, permanecem inalteradas.

Madeira, um precioso recurso, é principalmente usado na produção de tábuas, mas também é a matéria prima na fabricação de papel. Nas florestas plantamos os eucaliptos uma das principais arvores usada na fabricação do papel, que após sete anos, estão prontos para serem cortadas. Após o corte as toras são descascadas e estas cascas é recuperada e usada como combustível para produzir vapor e eletricidade.

 

A madeira é feita principalmente de fibras celulosas aderidas umas às outras com uma "cola" chamada lignina. Para converter madeira em polpa, devemos então separadas estas fibras ou seja remover a lignina. Para isso existe algum processo para a obtenção da polpa:
Processo Mecânico - A  polpa é obtida na prensagem dos troncos contra pedras de moer na presença de água. O processo pode ser mais eficiente se antes passar a madeira em refinadores. Muito freqüentemente, este desfibrar é terminado na presença de vapor e o produto é chamado de polpa termomecânica. A adição de reagente para a separação das fibras celulosas da lignina resulta em polpa termoquimimecânica. Podem ser usados estes tipos diferentes de polpas mecânicas, por exemplo, para fabricação de papel jornal.
Processo Químico - Polpa química (normalmente chamado de processo "KRAFT" que em alemão que dizer "FORTE"). Neste processo os cavacos estão misturados com substâncias químicas e cozido a alta pressão em imensos vazos de pressão chamados digestores. A ação combinada das substâncias químicas e o calor dissolve o lignina e as separa das fibras. Papéis feitos de polpa química são muito fortes. Por exemplo, eles são usados fazer bolsas de supermercado.
Processo por reciclagem
Reciclagem do papel é feito com aparas(pedaços de papel) misturando água e desintegrando em pulpers (liqüidificadores enormes). Contaminantes (plástico, metal, copo, polyetileno, etc.) é afastado da mistura usando telas e limpadores. Se necessário, da polpa resultante é feito a retirada da tinta pela ação combinada de água, substâncias químicas, calor e energia mecânica. A polpa reciclada é usada freqüentemente para fabricar papel cartão, papel jornal como também papéis usados na industria e nos lares como: papel higiênico, toalhas, lenços e guardanapos de papel, e assim por diante.

 

Para a fabricação de certos tipos de papel, a polpa deve ser branqueada. Para isso são usados produtos químicos para dissolver ou eliminar a lignina (adesivo natural das fibras) restante. A polpa resultante não só é mais branca, mas também tem uma tendência menor de amarelar com o passar do tempo. Pesquisa intensiva e investimentos grandes ajudaram consideravelmente a indústria papeleira a reduzir o impacto ambiental do processo de Branqueamento.

 Formação da Folha

 

Quando a polpa chegar à caixa de entrada da máquina de papel, seu conteúdo de água excede 97%. A mistura é lançada sob a forma de um jato fino e uniforme sobre uma tela móvel chamada de tela formadora. A ação filtrante desta tela formadora, combinada com um sistema de vácuo, extrai a maior parte da água contida na polpa formando assim a folha de papel. A folha é prensada entre rolos para remover mais água. A folha então atravessa a seção de secagem onde entra em contato com cilindros enormes que estão geralmente aquecido com vapor, extraindo a maior parte da água restante através da evaporação. No final da máquina, o papel é enrolado em enormes mandris (rolo jumbo), que são rebobinados e segmentados em rolos menores, seguindo para a seção de conversão ou de acabamento.

 Acabamento

 

De posse de "pequenas bobinas" (quando comparadas ao rolo jumbo), o acabamento é o setor da fábrica responsável pela conversão em folhas cortadas (tipo expediente) e pela embalagem de todos os produtos acabados. Para este processo dispõe de modernos equipamentos que são responsáveis pelo corte, empacotamento e paletização dos papéis de expediente, onde a bobina é cortada em folhas formato padrão( A4, Ofício II, etc.) Hoje em dia devido ao alto grau de tecnologia na maioria das fábricas toda a produção é realizada, automaticamente, sem contato manual.

Publicidade
Dicas para presentes de natal em papel Kraft
 
Fabrica de Papel na China
 
 
Mini livro ou caixinha musical?
 
Tipos de papel - Papel para imprensa
 
 

boletim de informações

Cadastre seu email abaixo e receba nosso boletim de informações.

clipping celulose

Portal Celulose Online © 2013. Todos os direitos reservados