CompararComparando...

Dinheiro: Veja 10 dicas para passar 2016 “no azul”

Lendo Agora
Dinheiro: Veja 10 dicas para passar 2016 “no azul”

dinheiro15/01/2016 – Depois de um ano difícil para as contas, a expectativa para o ano que vem, segue em baixa. Segundo Fred Guimarães, economista da Acirp, a queda na economia deverá ficar entre 2,5% a -4%. Por isso, a atenção ao orçamento doméstico terá de ser ainda maior em 2016.

Causas e soluções

O economista Marcelo Bosi, do Sincovarp explica que o cenário vivido pelo Brasil hoje, e que deve se estender pelos próximos doze meses, é resultado de uma quebra no ritmo de crescimento dos últimos anos.

Para Luciano Nakabashi, professor da Faculdade de Economia Administração da USP Ribeirão, medidas mais amplas são necessárias para solucionar de vez o problema. “Para a melhora do contexto em prazos mais longos, reformas que forneçam sustentabilidade das contas públicas são fundamentais”, fala.

Mas, enquanto isso não acontece, o consumidor precisa se organizar. E agora é o momento de fazer um balanço das contas de 2015 e se preparar para o novo ano. Confira as dicas de como se programar e passar um 2016 “no azul”.

1 – Simplifique as atitudes

Os tempos são difíceis para todo o Brasil, fato que demanda medidas eficazes para solucionar os problemas decorrentes da falta de dinheiro. Porém, segundo Sérgio Sakurai, professor da FEA-RP/USP, esse momento pede simplicidade tentar coisas mirabolantes pode fazer tudo piorar. “A receita é óbvia e não adianta “inventar” em tempos de dificuldade; pelo contrário, o ideal é ser mesmo conservador”.

2 – Autocrítica

De acordo com o economista Anderson Romanello, o primeiro passo para a pessoa ter uma saúde monetária boa em épocas de crise como a que o Brasil está vivendo, é ter a exata noção da relevância que cada centavo pode ter no decorrer dos seus dias. “Conscientize-se da importância da dimensão financeira na sua vida. Isso não significa, claro, colocar o dinheiro em primeiro lugar; quer dizer entender que o descontrole nesse quesito pode trazer problemas, até para a vida familiar, saúde, etc”.

3 – Invista em você

Qualifique-se da melhor forma para elevar o rendimento seu e de todos que o cercam. Em momentos de crise, é primordial que a pessoa não fique só reclamando da situação do país, culpar só o governo não adianta. Pegue alguma reserva e injete na sua melhora, é o que reitera o professor da Faculdade de Economia e Administração da USP Ribeirão, Luciano Nakabashi. “Importante realizar cursos. Existem excelentes tipos de formação como esses, que ensinam habilidades que são demandas no mercado”.

4 – Conte com um aliado

13º é um aliado a mais no combate aos possíveis efeitos negativos do momento econômico do país. Para Sérgio Sakurai, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP Ribeirão, é vital para a saúde financeira saber como utilizá-lo. “Procure usar o décimo terceiro e qualquer folga orçamentária para quitar dívidas e pagar os impostos do começo do ano (IPVA, IPTU, etc), tentando sempre negociar um bom desconto para pagamento à vista”.

5 – Não gaste o que você não ganhou ainda

Para o economista da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto, Fred Guimarães, gastar somente o que tem é uma regra fundamental. “Na medida em que um ser humano assume compromissos em demasia, ele está sujeito às intempéries e imprevistos que surgem. Uma doença na família, uma colisão de automóvel, um aumento inesperado nas despesas de educação dos filhos, enfim, se gastar só o que tem, lidar com essas situações, quando acontecerem, torna-se mais fácil”.

6 – Compre somente o necessário

Consumir é necessário e, algumas vezes, pode ser prazeroso, principalmente em tempos de festas. Porém, o gasto desenfreado pode comprometer nossa vida financeira, de acordo com o professor da Faculdade de Economia e Administração da USP Ribeirão, Luciano Nakabashi, cada gasto precisa ser pensado. “Refletir sobre a real necessidade de uma compra antes que ela seja efetuada, é fundamental. Pensar nos benefícios e também nos custos para poder manter a saúde financeira da pessoa e da família”.

7 – Analise novamente algumas contas

De acordo com o Gerente Regional do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Cisep), Marcelo Maçonetto, para “ficar no azul” é primordial avaliar alguns compromissos. “Pegue pacotes mais simples de TV por assinatura e internet ,renegocie na renovação do seu aluguel. Mas comece com uns três meses de antecedência. Caso não consiga, com certeza haverá opção para alugar mais barata no mercado. Mas não se esqueça de considerar os gastos com mudança e entrega do imóvel antigo”.

8 – Transforme seus costumes

Para o economista do Sindicato do Comércio Varejista de Ribeirão Preto (Sincovarp), Marcelo Bosi, períodos de crise exigem um remanejamento no estilo de vida, para evitar problemas. “Lembre-se: os custos são controláveis, as receitas não – por mais que acreditemos que não podemos alterar nossos gastos, isso não é verdade. Hábitos podem ser mudados, ainda que seja difícil fazer isso. As receitas, por outro lado, sempre dependem de terceiros para qualquer tipo de aumento”.

9 – Leia todos os contratos que assinar

Na atual conjuntura do país, é inviável que se pague uma conta alta, com um valor exorbitante ao orçamento, por desconhecimento do que foi acordado. É o que reitera o economista da Associação Comercial e Industrial de Ribeirão Preto, Fred Guimarães. “Um exemplo disso acontece quando alguém financia um imóvel pela tabela “Price”, quem compra não vai ter condições de pagar no longo prazo (a tabela “Price” não amortiza os Juros, o que significa saldo devedor crescente)”.

10 – Fuja dos vilões

De acordo com economista do Sincovarp, Marcelo Bosi, é essencial que a pessoa não recorra a dois velhos conhecidos que podem ser muito perigosos. “Cheque especial deve ser evitado de todas as formas. Usá-lo em uma hora como essa pode complicar o panorama ainda mais – ele só parece ser um solucionador de problemas, a questão dos juros altos acaba inviabilizando a sua utilização, bem como a entrada em financiamentos com parcelas muito longas”.

Fonte: Jornal A Cidade / Adaptado por CeluloseOnline

Demuth Rodapé
Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
0%
Não Gostei
0%
Sobre o Autor
Celulose Online
Celulose Online
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário