5
Novo Últimas Notícias
 
 
 
 
 
Top Nav
CompararComparando...

Produção das gráficas aumenta 50% durante período eleitoral

Lendo Agora
Produção das gráficas aumenta 50% durante período eleitoral

Com a redução do período de campanha eleitoral, de 90 para 45 dias, os candidatos precisam correr contra o tempo para divulgar suas propostas e conseguir conquistar o voto dos eleitores.

Uma das formas mais clássicas de conseguir alcançar este objetivo é através do ‘santinho’, o que traz um aumento na demanda das gráficas.

Em Roraima, o período traz um crescimento de 50% na produção de material.

A informação é de proprietários e empresários do ramo, que atuam há anos na produção dos materiais.

No pleito atual, foi registrado ainda um crescimento de produção de santinhos, na contramão do esperado, considerando que muitas das campanhas atuais estão sendo feitas pela internet, redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas.

Custo baixo e característica da região aumentam produção

Para Moreira, um dos motivos para o aumento da produção é justamente a redução do período de propaganda, aliado com o baixo custo de produção.

“O tempo ficou muito limitado e o santinho é o material mais barato que tem para campanha.

Automaticamente a demanda aumentou.

Assim, o candidato tem a possibilidade de alcançar um número muito maior de pessoas, com um produto mais em conta”, frisou.

Essa é a mesma visão do empresário Clóvis Ióris.

Ele afirma que, apesar do fortalecimento das campanhas nas redes sociais, existe ainda a característica da região, com os eleitores em Roraima mantendo o costume do material impresso.

Fonte: Folha BV

CompararComparando...

Bienal do Livro SP e volta às aulas aquecem mercado livreiro brasileiro

Lendo Agora
Bienal do Livro SP e volta às aulas aquecem mercado livreiro brasileiro

Contemplando a segunda quinzena de férias escolares; eventos sazonais, como o Dia dos Pais e a Bienal do Livros em São Paulo; e a volta às aulas no 2º semestre, o 8º período de 2018* apresentou números positivos para as vendas de livros no país.

Após dois períodos seguidos de queda, o mercado livreiro teve crescimento de 11,45% em volume e 8,47% em faturamento no 8T, em relação ao mesmo intervalo no ano passado.

Comparando apenas a semana que compreende o Dia dos Pais e a Bienal do Livro SP com a média de vendas das três semanas anteriores aos eventos, verificou-se um incremento de 24% em volume e de 20% em faturamento.

Outro destaque foi o aumento do desconto médio ofertado, de 0,79 pontos percentuais.

Além disso, no período de volta às aulas, chamou atenção uma maior procura por títulos científicos, técnicos e profissionais.

“Os gêneros voltados para o público universitário com foco em Engenharia, Direito e Saúde tiveram a maior média de crescimento em comparação ao período anterior”.

“Quando confrontamos com os dados do ano passado, os CTPs e Didáticos tomam maior espaço, crescendo acima da média”.

“Ficção, por outro lado, foi o gênero menos expressivo em vendas nessa época”, pontua Ismael Borges, gestor da divisão de Bookscan, da Nielsen Brasil.

Mantendo o bom desempenho, no acumulado do ano** o mercado registrou performance superior à de 2017, com aumento de 5,97% em volume e de 9,8% em valor.

Esses são alguns dos dados do 8º Painel das Vendas de Livros no Brasil em 2018, apresentados pelo Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) e pela Nielsen.

Os números têm como base o resultado da Nielsen BookScan Brasil, que apura as vendas das principais livrarias e supermercados no país.

* T. Mercado – Período 08: 2017 (17/07 a 13/08/2017) x 2018 (16/07 a 12/08/2018)

** T. Mercado – Acumulado WK01 / WK32: 2017 (02/01 a 13/08/2017) x 2018 (01/01 a 12/08/2018
Fonte: Nielsen | Nielsen BookScan

Da redação

CompararComparando...

Projeto ônibus biblioteca “Livros nas Praças” visita Ribeirão Preto (SP)

Lendo Agora
Projeto ônibus biblioteca “Livros nas Praças” visita Ribeirão Preto (SP)

Com o objetivo de popularizar a cultura e o hábito pela leitura, o projeto Livros nas Praças visita a cidade de Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, no próximo dia 20 de agosto, das 9h às 16h.

O ponto de parada do ônibus biblioteca será o estacionamento do escritório Brasil Salomão e Matthes Advocacia, que fica na Avenida Presidente Kennedy, 1255, na Nova Ribeirânia.

A visita ao projeto será aberta à comunidade e terá entrada gratuita

O ônibus-biblioteca Livros nas Praças conta com acervo de cerca de 2 mil exemplares, formado 80% por livros de autores brasileiros, como Ana Maria Machado, Thalita Rebouças, Paulo Coelho e Monteiro Lobato.

O projeto tem o objetivo de levar literatura e conhecimento por meio do empréstimo gratuito de livros.

A biblioteca sobre rodas oferece, ainda, 60 livros com ilustrações em braile para crianças, 30 livros em fonte ampliada para pessoas com baixa visão, 20 audiobooks para deficientes visuais e 30 livros em braile para adultos.

A unidade móvel possui cadeira de transbordo, própria para cadeirantes e idosos com dificuldades de locomoção, além de banheiro e água mineral para os leitores que utilizarem o ônibus biblioteca como espaço de leitura.

O projeto Livros nas Praças faz parte de iniciativas que priorizam a responsabilidade social das empresas.

E possui a chancela e aprovação da Lei Rouanet para sua itinerância literária em todo o Brasil.

Até junho de 2018, o ônibus biblioteca alcançou a marca de mais de 160 mil pessoas atendidas em sua biblioteca sobre rodas.

Para o advogado Brasil Salomão, sócio-fundador do escritório, poder conhecer o projeto de perto e ainda apresentá-lo à equipe da advocacia, aos seus clientes e à comunidade de Ribeirão Preto é uma excelente oportunidade de apoiar e incentivar a esta iniciativa cultural.

“Apreciamos muito os projetos difusores de literatura, que como este, estimulam a formação de leitores no nosso país”, avalia Brasil Salomão.

Projeto itinerante

O projeto itinerante Livro nas Praças foi criado no Rio de Janeiro e visa a democratização e o acesso dos jovens ao mundo literário, oferecendo-lhes a possibilidade de exercerem plenamente seus direitos como cidadãos.

A principal premissa do projeto é permitir o acesso das classes menos favorecidas à informação, através da circulação de um ônibus biblioteca em praças de comunidades onde não existem bibliotecas públicas, com o intuito de garantir que programas culturais de qualidade não fiquem restritos somente a uma minoria privilegiada.

Essas ações direcionadas a diversos públicos têm como objetivo contribuir com a formação de agentes culturais, multiplicadores em diversos níveis.

Segundo a coordenação do projeto, a intenção é conscientizar as pessoas sobre a importância do livro e da leitura e estimular o senso crítico, não só diante de uma obra literária, mas também da realidade onde estão inseridas.

Como funciona o projeto?

Os visitantes podem ler dentro do espaço de leitura do ônibus-biblioteca com suas 10 mesas e cadeiras ou levar até dois livros, gratuitamente, para casa, dentre os dois mil livros infantis, juvenis e adultos do acervo;

Para o empréstimo, é necessária apresentação de um documento de identidade e comprovante de residência para cadastro;

Os livros devem ser devolvidos ao ônibus biblioteca em qualquer praça, durante a permanência do projeto;

O que: Projeto ônibus biblioteca “Livros nas Praças”

  • Data: 20 de agosto de 2018
  • Horário: 9h às 16h
  • Local: Estacionamento da matriz do Escritório Brasil Salomão e Matthes Advocacia
  • Endereço: Avenida Presidente Kennedy, 1255
  • Obs. A entrada é aberta à população e gratuita.
CompararComparando...

Livro sobre química da madeira é publicado no Brasil

Lendo Agora
Livro sobre química da madeira é publicado no Brasil

Obra inédita sobre o assunto é do professor de Química e Diretor do Campus da UFSM-FW.

Publicado em 2018, o livro “Química da Madeira” é fruto do trabalho de mais de dez anos do Professor Arci Dirceu Wastowski.

Docente da disciplina ministrada no curso de Engenharia Florestal desta Unidade que nomeia o livro, o Professor, Doutor em Química Orgânica escreveu “Química da Madeira” para suprir a inexistência de obras desta área escritas em língua portuguesa.

E, com isso, oportunizar a estudantes, professores, pesquisadores e profissionais aprender sobre a madeira, seus componentes estruturais e sua utilização principal, a fabricação de papel.

Assim, em 566 páginas, divididas em onze capítulos, o autor apresenta conceitos básicos da química da madeira, com a descrição detalhada da estrutura química da celulose, das hemiceluloses (polioses), da lignina e de todas as classes de extrativos, bem como dos métodos de obtenção da celulose de papel a partir da madeira utilizados até hoje.

química da madeira

O livro é voltado para os cursos de Engenharia Florestal, Engenharia Madeireira, Engenharia Industrial Madeireira, Engenharia Química, Engenharia Industrial e outros que tenham disciplinas correlatas em sua grade curricular, bem como fonte para cursos de especialização, mestrado e doutorado.

Mais informações em http://www.editorainterciencia.com.br/index.asp?pg=prodDetalhado.asp&idprod=483.

CompararComparando...

Livro aborda experiências na gestão de resíduos sólidos 

Lendo Agora
Livro aborda experiências na gestão de resíduos sólidos 

Experiências e desafios na gestão de resíduos sólidos em cidades de Cuba e do Brasil são assunto de livro lançado no último mês de junho, com a participação de pesquisadores da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

A publicação, intitulada “Resíduos Sólidos Urbanos: aproximação ao tema em cidades de Cuba e Brasil”, contou com a atuação dos departamentos de Gestão de Resíduos (DeGR) e de Apoio à Educação Ambiental (DeAEA) da Secretaria de Gestão Ambiental e Sustentabilidade (SGAS) da UFSCar.

O livro está vinculado diretamente ao projeto de pós-doutorado da pesquisadora María Gloria Fabregat Rodríguez, docente da Universidad de La Habana (Cuba), junto ao Programa de Pós-Graduação em Geografia da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

O projeto foi desenvolvido nas cidades de Presidente Prudente e São Carlos, no Brasil, e em Cienfuegos, Cuba, com supervisão de Maria Zanin, professora do Programa de Pós-Graduação em Ciência, Tecnologia e Sociedade (PPGCTS) da UFSCar, e apoio do Programa Nacional de Pós-Doutorado da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (PNPD/Capes).

Em formato de e-book, com coordenação de Rodríguez e organização de Zanin e dos pesquisadores da Unesp Antonio Cezar Leal e Leonice Seolin Dias, o livro possui um capítulo que relata as experiências em gestão de resíduos na UFSCar, englobando a prática pioneira da coleta seletiva de materiais recicláveis dos anos 1990 aos dias atuais, bem como a estrutura organizacional e funcional da gestão de resíduos químicos na Universidade.

Outros capítulos abordam as experiências do Fórum Comunitário de Resíduos Sólidos em São Carlos e, também, da Cooperativa de Catadores de Materiais Recicláveis de São Carlos (Coopervida), que conta com o apoio do Núcleo Multidisciplinar e Integrado de Estudos, Formação e Intervenção em Economia Solidária (NuMI-EcoSol) da UFSCar. A Coopervida é a cooperativa responsável pela coleta seletiva de recicláveis no Campus São Carlos da Universidade.

Além disso, há mais cinco capítulos que tratam sobre estratégias na gestão de resíduos sólidos complementares nos dois países.

O livro está disponível gratuitamente para download no site da Editora da Associação dos Amigos da Natureza da Alta Paulista (ANAP), em https://bit.ly/2LKfDbu.

CompararComparando...

Preço alto do papel impacta na indústria gráfica gaúcha

Lendo Agora
Preço alto do papel impacta na indústria gráfica gaúcha

Nesta semana, a Associação Associação Brasileira da Indústria Gráfica (Abigraf) se mostrou descontente com o crescente aumento do preço do papel para ler e escrever ou linha d’água (expressão utilizada para produzir livros, revistas e jornais que não possuem impostos).

Em conversa com Coletiva.net, o diretor financeiro da Abigraf RS, Lorival Lopes dos Reis, afirmou que a entidade gaúcha está de acordo com a operação nacional. Como fundador e presidente da Grafiset, mostrou-se insatisfeito com a situação e afirmou que a alta já está impactando o setor no Rio Grande do Sul.

Um dos motivos para o aumento do preço do insumo, de acordo com o comunicado emitido pela Abigraf Nacional, é de que a China passou a restringir a compra de aparas mistas (restos de papéis sujos, como de jornais) e a importar a fibra da celulose – o que é mais atrativo ao mercado e gera maior lucro.

Por conseguinte, as indústrias acabaram priorizando a venda da matéria-prima ao invés de produzir o material.

Outro fator, conforme Lorival, é o aumento do dólar.

“Nosso sentimento e de nossas empresas é de tristeza, pois não estamos conseguindo cumprir os contratos e isto está nos dificultando”, exprimiu Lorival, ao afirmar que a indústria gaúcha já está com dificuldades e sentindo os danos do ocorrido.

Falando pela Grafiset, contou que eles não têm nenhuma força para enfrentar a situação, pois importar o papel é ainda mais caro, visto que tem impostos – frente aos chamados papéis comerciais estarem imunes a estas taxas, uma vez que são destinados a produzir bens como os impressos.

Uma das medidas tomadas pela Abigraf, conforme registra no comunicado, é o pedido de maior supervisão do Governo Federal para que os papéis destinados à fabricação de manuais e bulas, por exemplo, sejam devidamente taxados.

Fonte: Coletiva.net

CompararComparando...

Ciclo do nitrogênio no solo é discutido em livro destinado a estudantes de Agronomia

Lendo Agora
Ciclo do nitrogênio no solo é discutido em livro destinado a estudantes de Agronomia

Livro destinado principalmente a estudantes de Agronomia foi disponibilizado recentemente pela Embrapa Meio Ambiente.

Um livro destinado principalmente a estudantes de Agronomia, que procuram conhecimento básico do ciclo do nitrogênio (N) no solo, envolvendo todos os seus principais processos, foi disponibilizado recentemente pela Embrapa Meio Ambiente (Jaguariúna, SP) em sua base de publicações.

O Ciclo do Nitrogênio em Sistemas Agrícolas está disponível aqui.

Nitrogênio

O nitrogênio (N) é um nutriente requerido por todos os organismos vivos e, no solo, é um elemento extremamente dinâmico em decorrência das várias reações de oxido-redução a que está sujeito.

O suprimento inadequado de N é considerado um dos principais fatores limitantes à produtividade de grãos. Este elemento é necessário em grandes quantidades, uma vez que é componente essencial de proteínas, ácidos nucleicos e de outros constituintes celulares.

A pesquisadora Rosana Faria Vieira explica que embora a maior parte das etapas envolvidas no ciclo do N tenha sido identificada há mais de um século, ainda hoje nos deparamos com novas descobertas.

“Os primeiros dez anos do século 21 foram extremamente importantes no entendimento das relações funcionais dentro do ciclo deste elemento. Nesse período ocorreu a identificação de novas espécies de microrganismos envolvidas em processos já conhecidos até a identificação de processos nunca descritos anteriormente. Nos primeiros tópicos deste livro é feita uma descrição das etapas envolvidas na dinâmica do N no solo, até então conhecidas”, informa ela.

Eficiência

De acordo ainda com a autora, “apesar do N ocupar posição de destaque na nutrição mineral de plantas, a eficiência de sua utilização pelas culturas é baixa, o que gera grandes perdas deste elemento para o ambiente.

“As preocupações com estas perdas tornam-se cada vez maiores se considerarmos que até 2050 a produção de alimentos deve aumentar em 70% para suprir a demanda de uma população que poderá chegar a 9,1 bilhões”, enfatiza ela.

Rosana salienta que a delicada coexistência de efeitos benéficos e prejudiciais do N em sistemas agrícolas sugere a necessidade urgente de entendimento mais profundo do ciclo deste elemento.

Assim, “nos itens finais deste livro são descritas as rotas e apresentados os processos relacionados com as perdas de N após a aplicação de fertilizantes nitrogenados minerais e/ou orgânicos. São descritas também algumas medidas de mitigação com potencial para o incremento da eficiência de uso do nitrogênio pelas culturas”.

A pesquisadora informa que se o leitor desejar aprofundar seus conhecimentos sobre o assunto encontrará no tópico relativo às referências uma ampla lista de artigos, boletins e livros, tanto nacionais quanto internacionais, que lhe fornecerá fontes de informações mais especializadas e pormenorizadas.

Fonte: Embrapa

CompararComparando...

Anna Todd, autora da série After, confirma participação na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Lendo Agora
Anna Todd, autora da série After, confirma participação na 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo

Best-seller fará bate-papo com os fãs em 05 de agosto, na “Arena Cultural” – um dos maiores espaços do evento.

Após três anos, Anna Todd volta ao Brasil para participar da 25ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, que acontece de 03 e 12 de agosto de 2018, no Anhembi.

No dia 05, a escritora participará de um bate-papo sobre os livros Nothing More e Nothing Less, recém-lançados pela editora Astral Cultural.

A autora ainda irá promover a sua nova trilogia The Brightest Stars, também da Astral Cultural e com lançamento previsto da primeira obra para setembro deste ano.

Durante os 10 dias de Bienal do Livro, os visitantes poderão ter contato com autores, em bate-papos e palestras exclusivas. Além de Anna Todd, já estão confirmados:

  • Victoria Aveyard (11/08), autora da série “A Rainha Vermelha”;
  • Soman Chainani (10/08), da série “A escola do bem e do mal”;
  • Yoav Blum (07/08), de “Os criadores de coincidências”; e,
  • Lauren Blakely (05/08), de “Mister O”.

O evento reunirá as principais editoras, livrarias e distribuidoras brasileiras, além de players internacionais. Contará com uma ampla programação cultural, em espaços temáticos exclusivos, e receberá, ainda, importantes autores nacionais e internacionais.

Conheça mais sobre a escritor:

ANNA TODD

Anna Todd, aclamada pela revista Cosmopolitan como “o maior fenômeno literário de sua geração”, começou sua carreira no Wattpad, plataforma digital de escrita e leitura, na qual atingiu mais de 1,5 bilhão Bienal Internacional do Livro de São Paulode leituras.

A garota que cresceu em uma pequena cidade em Ohio ganhou o mundo com sua série After, best-seller do The New York Times e que já foi traduzido para mais de 30 idiomas.

Em breve, mais informações sobre a programação pelo www.bienaldolivrosp.com.br ou por nossas redes sociais.

CompararComparando...

UFRGS lança livro que cita a degradação da celulose

Lendo Agora
UFRGS lança livro que cita a degradação da celulose

Intitulado “A degradação da celulose pelos ruminantes”, o livro aborda temas técnicos, como a hidrólise, que é um polímero de moléculas de glicose que gera energia para animais herbívoros, como os ruminantes.

“O texto introduz tópicos como os impactos ambientais causados pela pecuárias e novas aplicações para as celulares”, diz o resumo.

A obra tem 180 páginas e foi lançada neste ano.

Está sendo comercializada a 25 reais pelo site oficial da Universidade.

Para saber mais, clique aqui.

Com informações da UFRGS

CompararComparando...

Autor brasileiro lança livro sobre derivados de celulose

Lendo Agora
Autor brasileiro lança livro sobre derivados de celulose

A obra foca em toda síntese de fibras naturais modificadas que devem ser usadas como solução para problemas causados pelo aumento da demanda de fibras celulósicas.

O título é: Cellulose Derivatives Synthesis, Structure anda Properties, que foi lançado pela editora alemão Springer e tem um dos autores o brasileiro Omar Abou El Seoud.

Seoud é professor do Instituto de Química da USP (Universidade de São Paulo) e coordenador de Projeto Temático apoiado pela Fapesp.

Outros autores são alemães: Thomas Heinze e Andreas Koschella.

O livro é apenas uma parte de toda coleção, chamada de Springer Series on Polymer and Composite Materials e tem 523 páginas sobre o tema da celulose e seus derivados.

derivados de celulose

“O tema do livro tem impacto importante socioeconômico no mundo. As fibras naturais como algodão serão sempre procuradas pelo consumidor, em particular em países quentes, devido à propriedade das fibras”, disse Seoud.

“Entretanto, por volta de 2030 o mundo vai enfrentar a ‘lacuna de celulose’, que é o aumento da demanda de fibras com base celulósicas não acompanhadas de algodão. E, logo, não haverá terra para cultivar o algodão”, finalizou o pensamento.

Dessa forma, a solução é aumentar a produção de fibras naturais, com base na madeira, que vem do líquido viscoso (xantato de celulose).

E, a partir disso, o Brasil ganha espaço porque já um dos maiores produtores da celulose com base em madeira – a pasta de celulose – mas, que deixou de fabricar a viscose em 2013.

O livro em inglês pode ser comprado na versão digital da editora, no site.

Com informações da Revista Amazônia

vaga
Últimas Notícias
 
Alta no mercado de máquinas agrícolas gera demandas importantes para a indústria do aço
 
Eucalipto responde por 75% das florestas plantadas no país
 
Uso de drones para agricultura será liberado na Índia 
 
Seca continua impactando commodities da Argentina
Comparar
Ir