CompararComparando...

CNA cria 12 propostas para combater a criminalidade no campo

Lendo Agora
CNA cria 12 propostas para combater a criminalidade no campo

A Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) fez um estudo sobre a criminalidade no campo, que vem crescendo e trazendo muitos riscos aos bens e à todos os produtores rurais.

Para a entidade, a falta de informações sobre a criminalidade no campo não condiz com a importância que o setor tem para o Brasil e para o mundo.

O estudo visa, portanto, propor ações preventivas para que sejam adotadas pelos produtores rurais e também pelas autoridades de Segurança Pública do país.

Todo o assunto foi sintetizado em 12 propostas para que o homem do campo tenha segurança e ferramentas a seu dispor.

Confira!

PROPOSTA 1

Sob a coordenação do Ministério Extraordinário da Segurança Pública, seguindo a linha-mestra da Política Nacional, garantir que, ao estabelecerem suas políticas estaduais e municipais de Segurança Pública e defesa social, todos os Entes Federados incluam ações e programas específicos de redução da violência no campo, em todas as suas vertentes.

PROPOSTA 2

Inserir na Política Nacional de Segurança Pública e Defesa Social (PNSPDS) programas e projetos específicos voltados para a prevenção e o controle da criminalidade nas regiões rurais, considerando suas singularidades e a necessidade de ações específicas à parte do contexto da violência urbana.

PROPOSTA 3

Quando da implantação dos Sistemas Nacionais de Acompanhamento e Avaliação das Políticas de Segurança Pública e Defesa Social (Sinaped) e de Informações de Segurança Pública, Prisionais, de Rastreabilidade de Armas e Munições, de Material Genético, de Digitais e de Drogas (Sinesp), incluir tipologia específica regionalizada e mais detalhada possível das ocorrências criminais mais comuns em áreas rurais, visando à padronização e disponibilização das informações.

PROPOSTA 4

Incentivar os estados a criarem ou fortalecerem unidades especializadas de prevenção e combate à criminalidade em regiões rurais dentro das estruturas das polícias civis e militares.

PROPOSTA 5 

Ao serem definidos os indicadores de aferição de desempenho das políticas nacional e locais de segurança, estabelecer metas específicas de redução da violência no campo.

criminalidade no campo

PROPOSTA 6

Elaborar, juntamente com os segmentos organizados do Setor Agropecuário do país e os operadores da Segurança Pública, um conjunto de leis para apreciação do Congresso Nacional, que, direta ou indiretamente, ajudem no enfrentamento do problema da violência no campo.

PROPOSTA 7

Criar uma Ouvidoria Nacional, com o objetivo de colher sugestões, dirimir dúvidas, fazer críticas e elogios à atuação dos órgãos operativos envolvidos com Segurança Pública, buscando subsídios para criação ou aperfeiçoamento de políticas de controle da criminalidade no campo.

PROPOSTA 8

Destacar boas iniciativas de prevenção e combate à criminalidade comum que existam nas áreas rurais, difundindo as estratégias e os resultados por todo o país e, se possível, com premiação dos idealizadores, como forma de propagar boas práticas e fomentar novos projetos.

PROPOSTA 9

Fomentar junto à União e aos Estados Federados a necessidade da extensão dos programas de prevenção à violência e ao uso de drogas, especialmente os voltados a crianças e jovens.

PROPOSTA 10

Incentivar os estados a darem recompensas, no âmbito dos seus programas de Disque-Denúncia, às pessoas que prestarem informações sobre autores de crimes e receptadores de produtos de infrações cometidas no meio rural.

PROPOSTA 11

Sensibilizar as autoridades públicas federais, estaduais e municipais a respeito do quadro de violência crescente que atinge produtores e trabalhadores rurais.

PROPOSTA 12

Procurar inserir nos meios de comunicação a temática dos crimes cometidos contra os produtores e as ações de controle por parte do Poder Público, dando peso idêntico à importante cobertura relativa aos conflitos agrários.

Com informações do Agrolink

Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
0%
Não Gostei
0%
Sobre o Autor
Celulose Online
Celulose Online
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário