CompararComparando...

Desemprego: Três Lagoas (MS) contrata mais de 6 pessoas por dia no setor da Construção Civil. Porém, oferta é maior que demanda

Lendo Agora
Desemprego: Três Lagoas (MS) contrata mais de 6 pessoas por dia no setor da Construção Civil. Porém, oferta é maior que demanda

11/08/2016 – Mais de 200 pessoas são contratadas para atuar no setor da construção civil mensalmente em Três Lagoas (MS). A média é baseada nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontou um saldo positivo de 312 novas vagas no segmento somente no mês de maio.

Ainda segundo o levantamento mensal, de janeiro a maio deste ano, foram 1.049 empregos criados no estoque e, nos últimos doze meses, o saldo chegou a 1,5 mil novas vagas. O resultado deve-se, principalmente, ao processo de ampliação das duas fábricas de celulose existentes em Três Lagoas, Fibria e Eldorado, e a expectativa é que se mantenha em uma linha crescente até 2018.

De acordo com Júlio Cesar Rodrigues da Cunha, diretor de engenharia da Fibria, hoje são cerca de 4,7 mil operários trabalhando no sítio da obra. Em dezembro deste ano acontece o pico da construção civil e serão cerca de 10 mil trabalhadores na obra. A expectativa é que o projeto seja concluído no terceiro trimestre do ano que vem. O projeto, intitulado Horizonte 2, avançou cerca de 40%.

camexcivilNo outro extremo do município, também está em fase de ampliação a unidade da Eldorado Brasil. O projeto, Vanguarda 2.0, está em fase de conclusão de toda infraestrutura necessária e fundação. Até o momento foram gerados 500 postos de trabalho.

Em visita a Três Lagoas, em maio deste ano, o presidente da Eldorado Brasil, José Carlos Grubisich, informou que a etapa da terraplanagem está 100% concluída e a construção da infraestrutura básica está em torno de 95%. A expectativa é que o pico da obra ocorra no fim do próximo ano, quando uma média de 14 mil a 15 mil operários estarão trabalhando no projeto.

“Tudo o que está debaixo do chão está feito e até o fim deste ano vamos fazer a aquisição dos principais equipamentos, que vão permitir o início das etapas de construção civil e montagem mecânica e elétrica”, declarou.

Neste mês, a Eldorado deu início a um processo seletivo para contratar 97 profissionais para atuar na área florestal entre Três Lagoas e Água Clara. Nesta cidade, as entrevista aconteceram nos dias 12 e 13. Já em Três Lagoas, foram três dias de entrevistas, de 15 a 18 de julho. As vagas estão divididas nas áreas de ajudantes florestais, tratoristas, operadores, motoristas e líderes de operações.

Conforme a assessoria de imprensa da companhia, as novas contratações são para atender a nova linha de produção. Por conta do processo de expansão, a Eldorado prevê o plantio de 50 mil hectares de eucalipto ao ano.

Demanda maior que oferta

Diariamente, a Casa do Trabalhador atende a uma média de 300 pessoas, “95% delas em busca de empregos, e o restante para dar entrada no seguro-desemprego”. Pouco mais de quatro mil pessoas deram entrada no benéfico.

Três Lagoas é hoje uma das cidades que mais gera empregos no País, no entanto, ainda está longe de suprir a demanda de desempregados, também tem aumentado a cada dia. Segundo dados da Casa do Trabalhador, o antigo Centro Integrado de Apoio ao Trabalhador (Ciat), neste ano, foram capacitadas 1.709 novas vagas de trabalho. Destas, somente 230 eram reposição; o restante para aumento de quadro era para atender ao setor da construção civil.

desempregoDe janeiro a maio, o órgão encaminhou 5.401 mil trabalhadores para entrevistas de emprego, 1.162 deles foram inseridos no mercado de trabalho, 398 trabalhadores empregados somente através da Casa do Trabalho.

“O atendimento da demanda é quase que inatingível. Primeiro, porque temos 12 milhões de desempregados no País. Segundo, no que se refere à ampliação de grandes empresas, é preciso observar o cronograma da obra. Quando divulgaram que Três Lagoas terá 40 mil vagas, elas deixaram claro que isso vai acontecer até 2018. Não será imediato”, destacou Fátima Montanha, coordenadora da Casa do Trabalhador.

Essa expectativa de emprego continua atraindo trabalhadores de todas as regiões do País. Muitos deles chegam a dormir na porta da Casa do Trabalhador em busca de uma oportunidade. “O saldo de colocação no mercado de trabalho é positivo. Mesmo que fosse um único empregado, já seria positivo. O problema é que a procura é demasiadamente grande. Por conta do desemprego, esses trabalhadores estão buscando regiões que estão aparecendo mais, como aconteceu também em Florianópolis”.

Falsos Agenciadores

emprego jornalA coordenadora também alertou para a ação de falsos agenciadores. Dois casos distintos de trabalhadores que pagaram para conseguir um trabalho no munícipio foram denunciados ao órgão. Em um deles, conta Fátima, o desempregado veio da Bahia e pagou R$ 400, mais R$ 100 para aluguel de um imóvel. Quando ele chegou aqui, não tinha emprego ou nem casa.

“Essa é uma ação de desordeiros, que querem tirar vantagem sobre o desempregado. Então, fica o alerta de que nós não usamos rede social alguma para divulgar nossas vagas. Elas são anexadas no mural da Casa do Trabalhador e encaminhadas à imprensa da cidade”.

Fonte: Correio do Estado

Demuth Rodapé
Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
100%
Não Gostei
0%
Sobre o Autor
Celulose Online
Celulose Online
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário