CompararComparando...

Relembre o Incêndio Florestal na Klabin no Paraná em 1963

Lendo Agora
Relembre o Incêndio Florestal na Klabin no Paraná em 1963

Uma série de incêndios florestais entre os meses de agosto e setembro de 1963 causou uma tragédia histórica.

Foram ao todos 110 pessoas mortas e 10% do território (128 cidades) do estado foi consumido pelas chamas, cerca de dois milhões de hectares foram completamente devastados, sendo 20 mil hectares de plantações, 500 mil de florestas nativas e 1,5 milhão de campos e matas secundárias.

Além de perdas de vida humana, milhares de animais também foram mortos, entre animais silvestres e animais de criação.

Foi o pior incêndio registrado no Brasil e um dos maiores do mundo.

Antes dos incêndios, havia acontecido uma geada forte, e a vegetação estava muito seca, o que facilitou a propagação do fogo.

Em 14 de agosto de 1963 foram noticiados os primeiros focos de incêndios em Guaravera, Paiquerê e Ta­ma­rana, que eram distritos de Londrina. Mais tarde provocou a perda de pelo menos 15 milhões de araucárias.

O relatório do governo estadual da época revelou que o município de Ortigueira teve 90% da área queimada.

Mais de 70% das reservas florestais das Indústrias Klabin de Papel e Celulose, cultivadas em uma fazenda de Tibagi, se perderam.

Só nesse local, 200 milhões de araucárias foram destruídas. A ajuda para combater o incêndio veio de outros estados, com o fornecimento de helicópteros e aviões. O fogo cessou naturalmente com a volta da chuva.

Fonte: Meio Norte

Demuth Rodapé
Qual é a sua impressão?
Amei
0%
Curti
0%
Não Gostei
0%
Sobre o Autor
Celulose Online
Celulose Online
Comentários
Deixe um Comentário

Deixe um Comentário