5
Novo Últimas Notícias
 
 
 
 
 
Top Nav
CompararComparando...

Comissão de Educação, Cultura e Esporte deve aprovar título de Capital Nacional da Celulose à Três Lagoas (MS)

Lendo Agora
Comissão de Educação, Cultura e Esporte deve aprovar título de Capital Nacional da Celulose à Três Lagoas (MS)

04/10/2016 – Está na pauta de votações da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) o Projeto de Lei do Senado (PLS) 178/2016, que concede à cidade de Três Lagoas, no Mato Grosso do Sul, o título de capital nacional da celulose. O PLS é de autoria da senadora Simone Tebet (PMDB-MS).

A autora do texto explica que em 2009, quando a Fibria (uma das maiores fábricas de papel do mundo) se instalou na cidade, a capacidade de produção era de 1,3 milhão de toneladas de celulose por ano. Em 2012, a Eldorado Brasil colocou em operação a segunda fábrica do município, com capacidade produtiva de 1,7 milhão de toneladas – somando, portanto, 3 milhões de toneladas anuais.

De acordo com Simone Tebet, essa produção saltará nos próximos anos para 7 milhões de toneladas anuais, pois as duas indústrias já iniciaram o processo de duplicação de suas plantas, com investimento privado que pode girar em torno de R$ 16 bilhões.

Segundo a senadora, informações do IBGE apontam que o número de trabalhadores assalariados em Três Lagoas aumentou 87,6% entre 2009 e 2013. Impacto significativo registrou-se também na renda dos trabalhadores: o salário médio mensal no mesmo período teve um incremento de 14,8%, subindo de 2,7 salários mínimos para 3,1 salários mínimos.

dario-berger

O título de capital nacional da celulose, conforme a parlamentar, refletirá o que a atividade produtiva proporcionou de crescimento ao município. Em seu relatório pela aprovação da proposta, o senador Dário Berger (PMDB-SC) afirma que o título representará o reconhecimento “à capacidade empreendedora da gente de Três Lagoas, que não se intimida diante das crises e adversidades”.

“A iniciativa em tela é, sem dúvida, pertinente, oportuna, justa e meritória”, diz ele em seu relatório.

Fonte: Agencia Senado

CompararComparando...

MS busca parceria para construção de contorno rodoviário em Três Lagoas

Lendo Agora
MS busca parceria para construção de contorno rodoviário em Três Lagoas

22/08/2016 – O governo do Estado busca uma parceria com a iniciativa privada para elaborar o projeto executivo de construção de um contorno rodoviário em Três Lagoas.

O objetivo da obra é “desafogar” o trânsito no trecho urbano da BR-262, a avenida Ranulpho Marques Leal, que hoje concentra o tráfego urbano e também a principal via de acesso para o Estado de São Paulo no município.

tres lagoas (2)

A busca por parcerias foi anunciada pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB), em visita a Três Lagoas na última sexta-feira (12) para o lançamento de obras.

De acordo com ele, o Estado pretende pedir ajuda das empresas Fibria e Eldorado, que tem indústrias de celulose instaladas na cidade e hoje estão em processo de expansão.

Fonte: Correio do Estado

CompararComparando...

Desemprego: Três Lagoas (MS) contrata mais de 6 pessoas por dia no setor da Construção Civil. Porém, oferta é maior que demanda

Lendo Agora
Desemprego: Três Lagoas (MS) contrata mais de 6 pessoas por dia no setor da Construção Civil. Porém, oferta é maior que demanda

11/08/2016 – Mais de 200 pessoas são contratadas para atuar no setor da construção civil mensalmente em Três Lagoas (MS). A média é baseada nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), que apontou um saldo positivo de 312 novas vagas no segmento somente no mês de maio.

Ainda segundo o levantamento mensal, de janeiro a maio deste ano, foram 1.049 empregos criados no estoque e, nos últimos doze meses, o saldo chegou a 1,5 mil novas vagas. O resultado deve-se, principalmente, ao processo de ampliação das duas fábricas de celulose existentes em Três Lagoas, Fibria e Eldorado, e a expectativa é que se mantenha em uma linha crescente até 2018.

De acordo com Júlio Cesar Rodrigues da Cunha, diretor de engenharia da Fibria, hoje são cerca de 4,7 mil operários trabalhando no sítio da obra. Em dezembro deste ano acontece o pico da construção civil e serão cerca de 10 mil trabalhadores na obra. A expectativa é que o projeto seja concluído no terceiro trimestre do ano que vem. O projeto, intitulado Horizonte 2, avançou cerca de 40%.

camexcivilNo outro extremo do município, também está em fase de ampliação a unidade da Eldorado Brasil. O projeto, Vanguarda 2.0, está em fase de conclusão de toda infraestrutura necessária e fundação. Até o momento foram gerados 500 postos de trabalho.

Em visita a Três Lagoas, em maio deste ano, o presidente da Eldorado Brasil, José Carlos Grubisich, informou que a etapa da terraplanagem está 100% concluída e a construção da infraestrutura básica está em torno de 95%. A expectativa é que o pico da obra ocorra no fim do próximo ano, quando uma média de 14 mil a 15 mil operários estarão trabalhando no projeto.

“Tudo o que está debaixo do chão está feito e até o fim deste ano vamos fazer a aquisição dos principais equipamentos, que vão permitir o início das etapas de construção civil e montagem mecânica e elétrica”, declarou.

Neste mês, a Eldorado deu início a um processo seletivo para contratar 97 profissionais para atuar na área florestal entre Três Lagoas e Água Clara. Nesta cidade, as entrevista aconteceram nos dias 12 e 13. Já em Três Lagoas, foram três dias de entrevistas, de 15 a 18 de julho. As vagas estão divididas nas áreas de ajudantes florestais, tratoristas, operadores, motoristas e líderes de operações.

Conforme a assessoria de imprensa da companhia, as novas contratações são para atender a nova linha de produção. Por conta do processo de expansão, a Eldorado prevê o plantio de 50 mil hectares de eucalipto ao ano.

Demanda maior que oferta

Diariamente, a Casa do Trabalhador atende a uma média de 300 pessoas, “95% delas em busca de empregos, e o restante para dar entrada no seguro-desemprego”. Pouco mais de quatro mil pessoas deram entrada no benéfico.

Três Lagoas é hoje uma das cidades que mais gera empregos no País, no entanto, ainda está longe de suprir a demanda de desempregados, também tem aumentado a cada dia. Segundo dados da Casa do Trabalhador, o antigo Centro Integrado de Apoio ao Trabalhador (Ciat), neste ano, foram capacitadas 1.709 novas vagas de trabalho. Destas, somente 230 eram reposição; o restante para aumento de quadro era para atender ao setor da construção civil.

desempregoDe janeiro a maio, o órgão encaminhou 5.401 mil trabalhadores para entrevistas de emprego, 1.162 deles foram inseridos no mercado de trabalho, 398 trabalhadores empregados somente através da Casa do Trabalho.

“O atendimento da demanda é quase que inatingível. Primeiro, porque temos 12 milhões de desempregados no País. Segundo, no que se refere à ampliação de grandes empresas, é preciso observar o cronograma da obra. Quando divulgaram que Três Lagoas terá 40 mil vagas, elas deixaram claro que isso vai acontecer até 2018. Não será imediato”, destacou Fátima Montanha, coordenadora da Casa do Trabalhador.

Essa expectativa de emprego continua atraindo trabalhadores de todas as regiões do País. Muitos deles chegam a dormir na porta da Casa do Trabalhador em busca de uma oportunidade. “O saldo de colocação no mercado de trabalho é positivo. Mesmo que fosse um único empregado, já seria positivo. O problema é que a procura é demasiadamente grande. Por conta do desemprego, esses trabalhadores estão buscando regiões que estão aparecendo mais, como aconteceu também em Florianópolis”.

Falsos Agenciadores

emprego jornalA coordenadora também alertou para a ação de falsos agenciadores. Dois casos distintos de trabalhadores que pagaram para conseguir um trabalho no munícipio foram denunciados ao órgão. Em um deles, conta Fátima, o desempregado veio da Bahia e pagou R$ 400, mais R$ 100 para aluguel de um imóvel. Quando ele chegou aqui, não tinha emprego ou nem casa.

“Essa é uma ação de desordeiros, que querem tirar vantagem sobre o desempregado. Então, fica o alerta de que nós não usamos rede social alguma para divulgar nossas vagas. Elas são anexadas no mural da Casa do Trabalhador e encaminhadas à imprensa da cidade”.

Fonte: Correio do Estado

CompararComparando...

40 mil vagas de trabalho em Três Lagoas (MS)? A história não é bem assim…

Lendo Agora
40 mil vagas de trabalho em Três Lagoas (MS)? A história não é bem assim…

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro fez um levantamento em 2015 e colocou Três Lagoas como a segunda cidade que mais gerou empregos no país.

empregos três lagoas20/07/2016 – Três Lagoas (MS), a capital mundial da Celulose, tem 110 mil habitantes e só neste ano recebeu mais 20 mil pessoas em busca de emprego, a maioria do nordeste.

O resultado é uma migração de massa de desempregados!

“É muita promessa de trabalho, que dizem que ia ter, mas não está tendo nenhuma”, desabafou o operário João Carlos Alves.

O que aconteceu de fato é que a ampliação das fábricas da Fibria e Eldorado tem no projeto a geração de empregos até 2018, mas a notícia que se espalhou é que essas vagas já existem, o que não acontece.

Projeto Horizonte 2 da Fibria números

Números do Projeto Horizonte 2, da Fibria. “40 mil empregos diretos e indiretos durante o período do obra”.

Projeto vanguarda 20 da Eldorado números

Números do Projeto Vanguarda 2.0 da Eldorado. “20 mil empregos diretos e indiretos”.

Para ser exato, até hoje, foram gerados mais de 7 mil empregos com as obras das fábricas.

E mesmo com as passagens de volta para casa garantida, os trabalhadores não querem voltar. “A oportunidade que a gente tem está aqui, se a gente voltar vai ficar pior”, disse um trabalhador.

A matéria acima foi exibida hoje (20) no Bom Dia Brasil, da Rede Globo. E a matéria completa, você acessa pelo link.

 

CompararComparando...

Com a maior fábrica, Três Lagoas reafirma título de Capital da Celulose

Lendo Agora
Com a maior fábrica, Três Lagoas reafirma título de Capital da Celulose

09/06/2016 – Três Lagoas – distante 338 km de Campo Grande, é de fato a Capital da Celulose. Oficialmente o título é de 2013, mas com duas gigantes do setor em obras de expansão, o município espantou a crise que chegou com força no fim de 2014 e agora, vive dias de grande movimentação e expectativa.

A Fibria anunciou que em outubro de 2017, quando deve entrar em operação a segunda planta que está em construção, a unidade de Três Lagoas será capaz de produzir 3,7 milhões de toneladas de celulose/ano. Essa é a maior produção anual entre as indústrias do setor.

Também da Fibria, a unidade de Aracruz, no Espirito Santo, que atua com três linhas de produção era, até então, a maior fábrica de celulose do mundo. O posto trocou de mãos e agora pertence a Mato Grosso do Sul.

De acordo com o presidente da Fibria, Marcelo Castelli, em sete anos a unidade de Três Lagoas cresceu mais do que outras, que demoraram 10 anos. “Três Lagoas agora passa a tão famosa unidade de Aracruz, em menos de 10 anos de atuação”, afirma.

Outra empresa que contribui para o status de de Capital da Celulose, é a Eldorado Brasil, pertencente ao grupo J&S, mesma do grupo JBS. Inaugurada em 2012, a fábrica tem capacidade de produzir 1,7 milhão de toneladas/ano.

Porém, também está em andamento a construção da segunda linha de produção, que segundo a empresa, terá capacidade instalada para produzir 2 milhões de toneladas de celulose/ano.

Primeiro fardo de celulose produzido na nova Unidade Puma da Klabin.Consequências – Em Três Lagoas, é justamente a celulose, que foi a responsável pelo crescimento da cidade, que hoje tira o município da crise. O período de dificuldade que afetou empresários e trabalhadores, logo após a Petrobras anunciar que iria parar as obras da Fábrica de Fertilizantes, no fim de 2014, começa a passar.

Hoje, o cenário é outro. Na rodovia BR-262, principal via de acesso ao município, é intenso o tráfego de caminhões carregados com madeira, veículos com adesivos das empresas de celulose e claro, eucalipto nas duas margens e a perder de vista.

A prefeita de Três Lagoas, Marcia Moura afirma que as parcerias são essenciais para o bom andamento do município. “Nós passamos por um momento delicado, em que temos que estreitar o diálogo junto as empresas privadas. São elas que ajudam muito na infraestrutura, como aumento de escolas, creches e saúde”, diz.

 Fonte: Campo Grande News
CompararComparando...

Três Lagoas (MS) fica entre as 15 cidades que mais geraram empregos no país

Lendo Agora
Três Lagoas (MS) fica entre as 15 cidades que mais geraram empregos no país

Somente em abril, município gerou 518 novos postos de trabalho

03/06/2016 – Três Lagoas ficou entre as 20 cidades brasileiras com maior saldo em geração de empregos no mês passado. O ranking, baseado nos dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, cita a cidade na 15ª posição em todo o país e também coloca o município na liderança em Mato Grosso do Sul.

Conforme os dados do Caged, somente em abril, o município gerou 518 novos postos de trabalho, saldo obtido ao comparar o número de contratações (1.648), contra o de demissões (1.140).

empregoEsse resultado está relacionado ao processo de ampliação das fábricas de celulose, Fibria e Eldorado Brasil, que reaqueceram o setor da construção civil. Para se ter uma ideia, dos mais de 500 novos empregos, 222 foram para atender a este setor.

As ocupações voltadas para a construção civil também aparecem entre as que mais foram contratadas no quadrimestre. Segundo o Caged, das cinco ocupações mais procuradas, quatro são voltadas para atender a este segmento. Lidera esse ranking o cargo de armador de estrutura de concreto, com saldo de 217 contratados neste ano e salário médio de R$ 1.466,50. Em segundo, aparece o de servente de obras, 154 contratados no ano (remuneração média de R$ 1.001,64); seguido carpinteiro de obras, 126 contratados e salário de R$ 1.460,07, e carpinteiro, com 102 contratados e salário de R$ 1.465,42, em média. A única ocupação em alta e não relacionada à construção civil é a de trabalhador na extração florestal, com 105 contratados no quadrimestre e salário médio de R$ 934,18.

Ainda segundo os dados do Caged, outros setores da economia três-lagoense também começaram a mostrar reação. A indústria da transformação, recordista em postos de trabalho fechados em 2015, dá sinais de recuperação, encerrando o mês de abril em terceiro lugar na geração de empregos. O setor obteve um saldo positivo de 93 novos postos de trabalho criados no estoque. Serviços ficou em segundo, com o total de 142 novas vagas no estoque. A agropecuária também se manteve em alta, com a criação de mais 80 empregos.

Dos cinco principais setores da economia, somente o comércio não conseguiu mostrar reação na geração de empregos e voltou a fechar o mês no vermelho. Em abril, o segmento extinguiu mais 55 postos de trabalho.

Das três ocupações que mais demitiram, duas são voltadas para o comércio. A com maior saldo de postos de trabalho fechados foi a de vendedor do comércio varejista, com 89 vagas fechadas. Em seguida aparecem a de operador de caixa, com outros 43 empregos extintos e a de preparador de calçados, 29 vagas fechadas.

ANO

Ao todo, a cidade encerra o quadrimestre com saldo positivo de 1.043 novos empregos formais. Mais da metade deles, 728, são voltados para a construção civil. O setor de serviços aparece em segundo, com a criação de 303 novos empregos, seguidos da agropecuária (+205) e indústria (+9).

DISCUSSÃO

Entretanto, esse aumento na geração de empregos tem causado polêmica. Trabalhadores de Três Lagoas alegam não estar sentindo este acréscimo devido ao grande número de desempregados vindos de outras regiões do país em busca de uma oportunidade de emprego no município.

Por dia, mais de 200 pessoas passaram pela Casa do Trabalhador, antigo Centro Integrado de Apoio ao Trabalhador, em busca de uma oportunidade de emprego. Algumas delas chegam a passar a madrugada na fila à espera da lista de vagas.

Fonte: Correio do Estado

CompararComparando...

TCU aprova a instalação de Porto Seco em Três Lagoas (MS)

Lendo Agora
TCU aprova a instalação de Porto Seco em Três Lagoas (MS)

25/05/2016 – O Tribunal de Contas da União (TCU) autorizou a Superintendência Regional da Receita Federal do Brasil da 1ª Região Fiscal a dar continuidade nas ações para a viabilização do Porto Seco de Três Lagoas. A decisão do TCU no Acordão n. 988/2016 proferida em sessão do dia 27 de abril e divulgada nesta semana aprova a Receita a dar continuidade no processo de exploração de outorga de terminal alfandegado de uso público do tipo Estação Aduaneira Interior”, a ser implantado no município da Costa Leste sul-mato-grossense.

“Essa aprovação do TCU é fundamental sob o ponto de vista do desenvolvimento econômico de todo o Estado. É uma grande vitória para o poder público e para o setor produtivo de Mato Grosso do Sul, pois nos coloca em um outro patamar em termos de competividade para atração de investimentos e escoamento de produção”, avalia o secretário de Meio Ambiente e Desenvolvimento Econômico, Jaime Verruck.

As operações de importação e exportação de Mato Grosso do Sul serão as grandes beneficiadas com o Porto Seco. Segundo o secretário, “o comércio exterior do Estado, que já passa por um momento favorável, deverá ter um salto expressivo após sua instalação por conta da competividade que o porto nos irá proporcionar. Três Lagoas e região deverá atrair outro tipo de investidores, diversificando ainda mais a atividade econômica do Estado”.

portoseco-tl1Para a prefeita de Três Lagoas Marcia Moura (PMDB) a aprovação do Porto Seco do município “é uma vitória para o desenvolvimento do nosso município e de todo o Estado. O empenho do governador Reinaldo Azambuja e do secretário Jaime Verruck foram fundamentais. Será mais um diferencial para a nossa cidade, um Porto Seco aqui irá diminuir o gargalo dos maiores portos do País”.

Os próximos passos, segundo o Delegado da Receita Federal em Campo Grande, Flávio de Barros Cunha, serão a realização de uma audiência pública em Três Lagoas, prevista para o mês de junho e, em seguida, a abertura do processo de licitação. “A implantação de portos secos é uma política estratégica da Receita para interiorizar o despacho aduaneiro com o objetivo de facilitar o comércio exterior e propiciar o desenvolvimento econômico, industrial e comercial”, afirmou Flávio de Barros.

De acordo com o acórdão do TCU a localização estratégica de Três Lagoas foi relevante na defisão por situar-se em entroncamento rodoviário, fluvial e ferroviário, permitindo fácil deslocamento de sua produção agropecuária e industrial. Essa condição “vai permitir o escoamento da carga (especialmente celulose) de/para o porto seco por meio da hidrovia Tietê-Paraná”, diz o documento.

Como funciona

De acordo com a Receita Federal, Porto seco ou Estação Aduaneira Interior (EADI) é um terminal intermodal terrestre diretamente ligado por ferrovia, rodovia e, em alguns casos, também aeroporto. Sua vantagem é proporcionar mais rapidez no processo de desembaraçamento aduaneiro das operações de exportação e importação.

Os portos secos possuem instalações para armazenamento e consolidação de mercadorias, manutenção de transportadores rodoviários ou ferroviários de carga, além dos serviços de desalfandegamento. Com o uso dos portos secos, as mercadorias exportadas já chegam aos portos marítimos prontas para o embarque, enquanto que no caso das importações pode-se tirar as mercadorias dos portos marítimos mais cedo, onde a armazenagem custa substancialmente mais caro.

Atualmente, existem 57 portos secos em funcionamento no país, assim distribuídos por unidades da federação: Amazonas (1); Distrito Federal (1); Goiás (1); Mato Grosso (1); Mato Grosso do Sul (1); Pará (1); Pernambuco (1); Bahia (2); Rio de Janeiro (3); Santa Catarina (3); Minas Gerais (4); Espírito Santo (4); Paraná (5); Rio Grande do Sul (6) e São Paulo (25). Em Mato Grosso do Sul, o porto seco já em operação localiza-se em Corumbá e é operado pela Armazéns Gerais Alfandegados de Mato Grosso do Sul (Agesa).

CeluloseOnline

CompararComparando...

Indústrias de celulose iniciam obras e mercado imobiliário volta a crescer em Três Lagoas (MS)

Lendo Agora
Indústrias de celulose iniciam obras e mercado imobiliário volta a crescer em Três Lagoas (MS)

10/05/2016 – A ampliação da Fibria e Eldorado, indústrias de celulose instaladas em Três Lagoas, distante 338 km de Campo Grande, já impacta no aumento da procura por casas de aluguéis, que só em março cresceu 35%. Após um período de baixa, que começou com a paralisação da fábrica de fertilizantes da Petrobras em 2014, as novas obras voltam a aquecer o mercado imobiliário.

De acordo com o proprietário da imobiliária Provenzano, Pedro Henrique ProvenzanoBatista, a ampliação das indústrias movimentou o setor no primeiro trimestre deste ano. “A procura maior são os imóveis de locação que cresceu em média 35%. Devemos muito a essas fábricas, pois isso tem ajudado o mercado imobiliário da cidade”.

tres lagoas (2)Segundo Provenzano, os contratos de aluguel são de 12 a 24 meses, período de duração das obras. “A média da ampliação das indústrias é de dois anos e os inquilinos querem contratos para este tempo“, afirma.

Para o auxiliar administrativo da imobiliária Nova Casa, Marcelo Renato Rossi de Oliveira, após o ano ter começado com pouca movimentação no setor, a procura por casas de aluguel aumentou consideralmente nos últimos 30 dias. “Em janeiro e fevereiro, o mercado estava muito parado, mas agora em março e abril, a busca por casas de aluguel aumentou, devido a contratação de pessoas para a ampliação das indústrias de celulose”.

O empresário Leonardo Caesar Mangialardo, possui 13 apartamentos para alugar. Destes, apenas três estão desocupados, mas já tem gente interessada. Conforme Mangialardo, a ampliação das indústrias tem ajudado no fechamento dos contratos.

“Desde o fim do ano passado as pessoas tem procurado os imóveis, mas era mais especulação. Agora já efetivei os contratos”.

Ainda segundo o empresário, desde o meio do ano passado, o mercado estava desaquecido, devido a uma queda no movimento da cidade. “Em 2015 estava com muitos apartamentos desocupados e decidi abaixar os preços para atrair o público e diminui também para os inquilinos, mas agora com essa procura maior, tive que aumentar um pouco o preço do aluguel”.

Vendas em alta – De acordo com o Núcleo de Pesquisas Econômicas da Prefeitura de Três Lagoas, a movimentação imobiliária cresceu 31,3% em março em comparação com fevereiro, atingindo a marca de R$ 28 milhões em transações.

O fato deve-se aos registros das unidades habitacionais localizadas no Residencial Orestinho. Para a liberação dessas residências populares foram registrados nos dois primeiros meses deste ano.

Conforme a pesquisa, os valores movimentados nas transações imobiliárias por programas habitacionais, como Minha Casa Minha Vida, somou em janeiro R$ 19 milhões e cresceu em fevereiro 78,1% saltando para R$ 34,1 milhões.

Fonte: CampoGrandeNews

CompararComparando...

International Paper completa 7 anos de excelência operacional em Três Lagoas

Lendo Agora
International Paper completa 7 anos de excelência operacional em Três Lagoas

17/02/2016 – A International Paper completa, neste mês, 7 anos na cidade de Três Lagoas (MS). Com capacidade produtiva de 236 mil toneladas/ano e investimentos na melhoria contínua de processos a IP aposta também no desenvolvimento pessoal e profissional de suas equipes e em ações voltadas à comunidade do entorno.

A planta fabril foi a primeira do setor a se instalar na cidade e também a primeira fábrica da International Paper a ser construída para a produção de papéis fora dos Estados Unidos, somando investimentos na ordem de R$ 300 milhões. A implementação da unidade contribuiu para a retomada da atividade industrial na cidade e proporcionou um incremento na arrecadação de impostos e no PIB regional.

Em 2015, a unidade de Três Lagoas recebeu o gerente-geral Amaury Malia, formado em Engenharia Química e que ingressou na International Paper em 1984. Com sólida experiência no setor, Malia já atuou como gerente em diversas áreas-chave da empresa e como gerente-geral da unidade de Mogi Guaçu (SP). De acordo com o executivo, “a unidade do Mato Grosso do Sul obteve uma melhora contínua international papernos processos elevando em 18% a produção original de projeto (200 mil ton/ano) graças ao investimento em planejamento, treinamento e principalmente engajamento das equipes”. O executivo afirma, ainda, que a IP considera o Brasil sua plataforma de crescimento na América Latina.

Símbolo de excelência operacional e referência para fábricas da IP ao redor do mundo, a unidade de Três Lagoas já promoveu diversas iniciativas de qualificação profissional, como o Formare, curso técnico promovido pelo Instituto International Paper (IIP) em parceria com a Fundação Iochpe, que possui duração de dez meses e aborda conhecimentos gerais e detalhes do processo de fabricação de celulose e papel. O projeto, pioneiro no Estado do Mato Grosso do Sul, já teve sua primeira turma de formandos e agora promove sua segunda edição.

Alguns números sobre a fábrica da International Paper em Três Lagoas:

  • Conta com um quadro total de (aproximadamente) 400 profissionais, entre diretos e indiretos;
  • A fábrica de Três Lagoas produz por ano aproximadamente 236 mil toneladas de papel não revestido, por meio de uma tecnologia referência mundial entre as unidades da IP;
  • É certificada pelos selos ISO 9001, ISO 14001, OHSAS 18001, Cerflor e FSC
  • Em 2014, a IP foi eleita pela 10ª vez a melhor empresa para trabalhar no setor de papel e celulose no ranking “Melhores Empresas para Você Trabalhar”, organizado pelas revistas Exame e Você S/A, da Editora Abril, em parceria com a Fundação Instituto de Administração (FIA); Sobre a atuação do Instituto International Paper (IIP) na região

Formare

Em julho de 2015 foi realizada a formatura da 1ª turma da escola Formare, do Instituto International Paper (IIP), em Três Lagoas. Dez alunos, que iniciaram o curso em agosto de 2014, receberam o certificado de iniciação profissional reconhecido pelo MEC (Ministério da Educação), com formação de Operador de Produção da Indústria de Papel e estarão prontos para entrar no mercado de trabalho.
Natureza e Corpo

Formare-820x510O projeto do Instituto International Paper (IIP), realizado em parceria com a Secretaria de Educação de Três Lagoas, ocorre desde 2013 e impactou, em 2015, 1800 pessoas, com a participação direta de 400 alunos das escolas Joaquim Marques e Parque São Carlos. Durante o ano passado, o Natureza e Corpo, desenvolveu uma série de atividades com objetivo de contribuir com a conscientização, engajamento e educação de jovens alunos para que eles sejam multiplicadores de conceitos e práticas de conservação ambiental e também possam contribuir para o desenvolvimento sustentável da própria comunidade local.

Fonte: Jornal Dia Dia / Adaptado por CeluloseOnline

CompararComparando...

Casa do Trabalhador e Fibria se reúnem para tratar de parceria

Lendo Agora
Casa do Trabalhador e Fibria se reúnem para tratar de parceria

Ciat e Fibria02/02/2016 – Foi realizada reunião entre Ciat – Casa do Trabalhador, com a coordenadora Fátima Montanha, e representantes da Fibria para tratar da parceria firmada entre ambos no objetivo de disponibilizar maior oferta de emprego, especificamente contratação para ampliação da empresa, denominado projeto Novo Horizonte2. Um dos representantes da Fibria presentes foi Cláudio Moura.

Segundo a coordenadora do Ciat, esta foi a segunda reunião realizada para tratar do processo. “As visitas começaram em meados de setembro de 2015 para conhecer o sistema e funcionamento do Ciat”.

Fátima informou que algumas empresas já têm disponibilizado a contratação, para atender a Fibria, por intermédio e encaminhamento da instituição, obedecendo aos requisitos solicitados para cada vaga. “Nossas tratativas é para que esta parceria possa crescer e que possamos aumentar nossa oferta oportunizando maior empregabilidade”, disse.

No dia 3 de fevereiro, quarta-feira próxima, está agenda reunião com técnicos de captação e administração de vagas do Ciat e Departamento Administrativo da Fibria, para dar sequência a consolidação da parceria.
A colaboradora Cleonice Fontoura e Sodré da Fibria também participaram da reunião desta quarta-feira (27).

Convênio

Desde junho de 2012, a Prefeitura de Três Lagoas mantém convênio de cooperação mútua com a Fundação do Trabalho de Mato Grosso do Sul (Funtrab), responsável pela gestão do Centro Integrado de Atendimento ao Trabalhador de Três Lagoas (Ciat), através de convênio com o Ministério do Trabalho.

Isso quer dizer que a agência do Ciat é de responsabilidade do Estado, em parceria com a Funtrab, por meio do Ministério do Trabalho.

Em Três Lagoas, o Centro conta com a parceria da Prefeitura para manter-se organizado no que se refere ao quadro de funcionários e estrutura adequada, para contribuir com empregabilidade.

O convênio foi firmado no dia 01 de junho de 2012 e objetiva a viabilização da infraestrutura, apoio operacional técnico e de gestão que visem à instalação adequada para funcionamento do Ciat. Através do convênio firmado, a Prefeitura, desde então, é responsável por 50% da locação, bem como o total das despesas referentes ao Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU), respeitando as normas do Ministério do Trabalho e normas de adequação pública estadual.

A Prefeitura também é responsável por prover as adequações físicas, manutenção geral da estrutura, conservação e disponibilização de funcionários conforme necessidade do local.

A Funtrab também é responsável por 50% da locação, bem como despesas de água, luz e telefone da agência local, orientação técnica e gerencial necessárias, fornecimento de materiais de expediente e de consumo e demais utensílios de acordo com a Cláusula Terceira do Convênio de nº 2.044 de 2012.

Fonte: Jornal Dia Dia / Adaptado por CeluloseOnline

vaga
Últimas Notícias
 
Alta no mercado de máquinas agrícolas gera demandas importantes para a indústria do aço
 
Eucalipto responde por 75% das florestas plantadas no país
 
Uso de drones para agricultura será liberado na Índia 
 
Seca continua impactando commodities da Argentina
Comparar
Ir